206. Salvador Modesto Madia
A tentação aqui foi colocar o Coronel Manoel Messias Mello, responsável pela ação no Pinheirinho, mas seguindo a lógica de colocar os piores primeiro, vai o criminoso-mor aqui, o tenente-coronel Salvador Modesto Madia.  Madia foi o tenente da operação no Carandiru. É um homem que tem 73 assassinatos em uma só ação. Não é que ele assassinou 73 na sua carreira. Isso foi em uma ação. Esse senhor nunca foi julgado pelas centenas de assassinatos que cometeu, mas premiado. Governador Geraldo Alckmin o nomeou no final do ano comandante da temida ROTA, batalhão de que ele fez parte por anos - e responsável por 20% das mortes de toda a PM do estado de SP em 2011. 
A ROTA, comandada pelo tenente-coronel, estava presente no Pinheirinho. E foi acusada por um dos crimes mais chocantes nessa ação. Detiveram duas mulheres por cinco horas dentro de suas casas. As mulheres viviam nas imediações do bairro - FORA da área invadida. Nem no Pinheirinho as moças moravam, para justificar a ação dos policiais. O relato das duas vítimas, que agora começa a ser investigado pelo Ministério Público, é no mínimo chocante. Enquanto os policiais comandados pelo seu Madia as estupravam, usando inclusive um cabo de vassoura para tal fim, obrigavam que elas respondessem: “Deus faz, a mãe cria. E a ROTA a ROTA faz o quê?”. A resposta tinha que ser: “A ROTA mata, senhor”.
Salvador Modesto Madia é chefe da maior quadrilha criminosa do Estado de São Paulo, quiçá do Brasil. O triste é que esse senhor e seus comandados dificilmente serão punidos. Nunca foram. Não é só impegável - porque não basta só você não querer pegar. Modesto Madia é o equivalente do carcará da humanidade: pega, mata e come. Não necessariamente nessa ordem.
@pranaopegar

206. Salvador Modesto Madia

A tentação aqui foi colocar o Coronel Manoel Messias Mello, responsável pela ação no Pinheirinho, mas seguindo a lógica de colocar os piores primeiro, vai o criminoso-mor aqui, o tenente-coronel Salvador Modesto Madia.  Madia foi o tenente da operação no Carandiru. É um homem que tem 73 assassinatos em uma só ação. Não é que ele assassinou 73 na sua carreira. Isso foi em uma ação. Esse senhor nunca foi julgado pelas centenas de assassinatos que cometeu, mas premiado. Governador Geraldo Alckmin o nomeou no final do ano comandante da temida ROTA, batalhão de que ele fez parte por anos - e responsável por 20% das mortes de toda a PM do estado de SP em 2011. 

A ROTA, comandada pelo tenente-coronel, estava presente no Pinheirinho. E foi acusada por um dos crimes mais chocantes nessa ação. Detiveram duas mulheres por cinco horas dentro de suas casas. As mulheres viviam nas imediações do bairro - FORA da área invadida. Nem no Pinheirinho as moças moravam, para justificar a ação dos policiais. O relato das duas vítimas, que agora começa a ser investigado pelo Ministério Público, é no mínimo chocante. Enquanto os policiais comandados pelo seu Madia as estupravam, usando inclusive um cabo de vassoura para tal fim, obrigavam que elas respondessem: “Deus faz, a mãe cria. E a ROTA a ROTA faz o quê?”. A resposta tinha que ser: “A ROTA mata, senhor”.

Salvador Modesto Madia é chefe da maior quadrilha criminosa do Estado de São Paulo, quiçá do Brasil. O triste é que esse senhor e seus comandados dificilmente serão punidos. Nunca foram. Não é só impegável - porque não basta só você não querer pegar. Modesto Madia é o equivalente do carcará da humanidade: pega, mata e come. Não necessariamente nessa ordem.

@pranaopegar